Memória

Somos um Laboratório de Ações Culturais. Com isso, ao longo de nossa trajetória, construímos e apoiamos diversas atividades culturais no Estado do Rio de Janeiro.

Aqui, relação sucinta das atividades desenvolvidas em 2019:

                               Parcerias institucionais:

. Instituto Grão – programas ambientais e ações culturais;

. Red Latinoamericana de Gestión Cultural;

. Cátedra UNESCO de Política cultural e gestão ;

. Faculdade de Formação de Professores da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (FFP-UERJ (Departamento de Letras);

. Associação de Pais e Amigos dos Deficientes Auditivos – APADA;

. Associação Brasileira de Gestão Cultural – ABGC.

                                Ações principais do LABAC em 2019:

Publicações:

– edições 17 e 18 de PragMATIZES – Revista Latino-Americana de Estudos em Cultura.

– publicação de três títulos da coleção CULTURA E…: Cultura e Participação (de Rosimeri Carvalho); Cultura e Resiliência (de Gisálio Cerqueira Filho); e Cultura e Políticas culturais (de Antonio Albino Rubim).

Pesquisas e orientações vinculadas ao coordenador o LABAC e ao grupo de pesquisa junto ao CNPq Planejamento e gestão cultural:

– projetos de pesquisa: 1. Cultura, produção do território e sociabilidades; e 2. Gestões compartilhadas em política pública de cultura.

– reuniões mensais (por vezes bimestrais) do GREGEST (Grupo de Estudos em Gestão da Cultura e do Território).

– Mapeamento e indexação das monografias do bacharelado em Produção Cultural (2001-2019). Resultado intermediário publicado no livro da Cátedra UNESCO de Política cultural e gestão: Estudos sobre políticas culturais e gestão da cultura (org. Lia Calabre e Alexandre Domingues), editado pela Fundação Casa de Rui Barbosa.

– Estudos cientométricos e bibliométricos das dissertações da pós-graduação em Cultura e Territorialidades (2015-2019).

Seminários:

– Seminário nacional Cultura, gêneros e diversidade (abr./2019), com três mesas:

. Olhares (in)disciplinbares da academia;

. Práticas legislativas em construção;

. Representação e movimentos sociais em disputa.

– Colóquio Cultura, Cidade, Direitos e Políticas (abr./2019), em parceria com Cátedra UNESCO de política cultural e gestão, com duas mesas.

– Seminário Desafios do território (jun./2019), em parceria com Laboratório Cidade e Poder (PPGH-UFF), com duas mesas.

Rodas de conversa em Cultura – edição 2019, quatro encontros:

. Formação e profissionalização no campo cultural (mar./2019);

. Identidades de gênero em disputa (abr./2019);

. (R)esistir para existir (nov./2019);

. Blackoute: o apagamento do negro na arte (nov./2019).

– Seminário Internacional Cultura e Democracia (nov./2019), desenvolvido pela PMN/SMC, com colaboração do LABAC na definição de duas mesas:

. Cultura em tempos de crise;

. Desafios da gestão de políticas culturais na América Latina.

Ações de extensão:

Curso semanal de teatro com jovens (Cia. de Teatro e Cinema em Cena), desenvolvido por Eloisa Porto Braem e Marcelo Correia, parceria LABAC, UERJ/FFP e Instituto Grão.

Projeto Contar histórias e viver a cidade, desenvolvido por Dulce Terra, parceria com APADA.

Projeto Meditar (reflexões e práticas diversas em meditação oriental e ocidental), cinco encontros sendo um por mês, de abril a agosto/2019): 1. Sinos tibetanos; 2.  Mindfulness; 3. Compaixão; 4. Arte de viver; 5. Meditação Cristã.

Lançamento de quatro livros:

. Sistema nacional de Cultura – Campo, saber e poder, de Alexandre Barbalho, editora da UECE;

. Cultura e Resiliência, de Gisálio Cerqueira Filho, editora Lumen Juris;

. Espaços públicos urbanos: das política planejadas à política cotidiana, org. Lucia Capanema Alvares e Jorge Luiz Barbosa, editora Letra Capital;

. Direito, religião e cultura política: variações, org. Gizlene Neder e Ana Paula Barcelos Ribeiro da Silva, editora Mauad X.

 

NOSSA MEMÓRIA:

Com o objetivo de organizar a memória de nossas realizações. Estamos investigando e sistematizando os registros do que construímos ao longo desses 20 anos de LABAC. Confira um pouco do que já aconteceu:

Rodas de conversa

A troca de experiências é incentivada pelo LABAC também através de rodas de conversa. Momento de encontro entre o corpo discente e profissionais atuantes nas diferentes áreas do setor cultural. As rodas começaram a acontecer em 2017 na Sala Interates, o atual palco das diferentes atividades sediadas no IACS UFF.


Colóquios

 

Faz parte da agenda anual de atividades do LABAC a construção de séries de colóquios sobre os temas pertinentes às questões da Gestão Cultural. Trazendo sempre convidados que atuam no setor dentro das mais diversas esferas, os colóquios são espaços de troca e formação tanto para o corpo discente quanto para a comunidades acadêmica como um todo e os demais interessados no tema. O público externo é bem vindo nos colóquios organizados pelo LABAC.


Lançamentos de livros

 

Acreditamos no potencial da palavra escrita e na difusão de conhecimento através de publicações. Ao longo de nossa trajetória, fomos plataforma de propagação de obras científicas construídas por pesquisadores do campo da cultura. Dentre os lançamentos que já abrigamos estão:

Política Cultural e Desentendimento – Alexandre Barbalho (UECE);

A coleção Cultura e…, organizada pelos professores Flávia Lages Castro (UFF) e Luiz Augusto Rodrigues (UFF). Conta com os livros Cultura e Gestão Cultural, Cultura e Direito Cultural, Cultura e Democracia, Cultura e Marketing para as arte. Disponíveis para compra no site da Editora Lumen Juris, Amazon e Saraiva Online;

Dimensões econômicas da cultura: Experiências no campo da economia criativa no Rio de Janeiro – Flávia Lages de Castro (UFF) e Mário F. de Pragmácio Telles (UFF). A obra, fruto da parceria entre o Observatório da Economia Criativa da UFF e o governo federal, através do Ministério da Cultura e da Secretaria de Políticas Culturais, encontra-se completamente disponível online.


Projeto “História! História!”

 

Semeando a expansão do olhar. O LABAC leva contações de histórias aos bebês e crianças da APADA – Associação de Pais e Amigos dos Deficientes da Audição – de Niterói. Proporcionando o contato com histórias orais e escritas, tem como um dos objetivos desenvolver o prazer da fruição e também a apropriação dos espaços urbanos. O projeto é voltado para portadores de deficiência auditiva, Síndrome de Down e crianças classificadas dentro da faixa da normalidade, com idade entre 4 meses e 5 anos e 11 meses.

Realizado em parceria com a Associação de Pais e Amigos dos Deficientes da Audição – APADA Niterói, na própria instituição, a contadora oficial do projeto, Perses Canellas, e as contadoras auxiliares Dulce Terra e Gabriela Luna.

 


Curso de Teatro Amigos da Arte

 

Aconteceu em 2016. Participaram adolescentes de entre 11 e 15 anos, estudantes da Educação Básica da Rede Pública de Niterói. A iniciativa é fruto do empreendimento da Secretaria de Educação de Niterói e Fundação Municipal de Educação de Niterói, com a equipe do Memorial Roberto Silveira.

O grupo estudou e encenou a peça “A revolta dos fantoches”, escrita pela professora Eloísa Porto Corrêa da UERJ. A direção teatral ficou por conta de Marcelo Correia, dinamizador cultural, presidente do Instituto Grão, uma organização não governamental que atua na área da educação e cultura.

O curso facilitou o contato dos participantes com uma gama de profissões relacionadas à prática teatral. Ampliando seus repertórios e seu leque de opções profissionais, possibilitou o acesso aos conhecimentos necessários para a iniciação desses jovens nessa linguagem artística.


Festival Interuniversitário de Cultura – FestFic

 

O evento oferece à população uma programação completamente gratuita e distribuída por 19 municípios da região metropolitana do Rio de Janeiro e municípios do interior do Estado. Uma programação cultural diversificada que contempla múltiplas linguagens por meio de apresentações artísticas, seminários, cursos, oficinas, manifestações de cultura popular entre outras.

A primeira edição do FestFic aconteceu em 2015. Contando com uma programação completamente gratuita e distribuída por 19 municípios do Estado do Rio de Janeiro. A UFF abrigou atividades em seus campi de Niterói, Rio das Ostras, Campos dos Goytacazes e Volta Redonda. O festival é resultado do convênio entre 8 instituições públicas de ensino superior: CEFET, IFF, UENF, UERJ, UFF, UFRJ, UFRRJ e UNIRIO, é um dialogo das universidades com a cidade, com a cultura que se faz nas ruas.


Ponto de Cultura Niterói Oceânico

 

Entre 2006 e 2012, o LABAC atuou em parceria com o Centro Cultural Artístico da Região Oceânica (CCARO) e o Ministério da Cultura através do Programa Cultura Viva na consolidação deste espaço de difusão artística e cultural como Ponto de Cultura Niterói Oceânico. Dentre as atividades desenvolvidas, destacam-se as oficinas de dança contemporânea, desenho artístico, vídeo digital, leitura e capoeira.

O CCARO é uma entidade sem fins lucrativos fundada em 2000. Reconhecida pela Câmara Municipal como utilidade pública em 2004 e registrada no Conselho Municipal de Desenvolvimento da Criança e do Adolescente em 2008. O Ponto de Cultura localizado em Itaipu, bairro da Região Oceânica da cidade de Niterói, contou com assessoria técnico-científica da Universidade Federal Fluminense, através do Laboratório de Ações Culturais – LABAC.


Encontros com a Arte

foto

O projeto auxiliou na organização de exposições abertas e em espaços públicos desenvolvidas pelo grupo de artistas ARTES ICARAÍ em Niterói. A ação itinerante esteve presente na Praça Getúlio Vargas, Praça Dom Navarro, Calçadão da Praia de Icaraí e Campus do Gragoatá em 2004. Ao longo de 2005 passou pela Biblioteca Central do Gragoatá, na Praça São Pedro, em Rio das Ostras, e produziu edições mensais na Praça Getúlio Vargas.


 

As atividades construídas e apoiadas pelo LABAC ocorridas antes de 2012 encontram-se documentadas em Gestão em Cultura – LABAC UFF. Nosso blog também elenca e desenvolve conceitos relativos à reflexão do campo cultural. Acesse!

blog